II Encontro da Juventude Conservadora da UFMA – o Conservadorismo e a Guerra Cultural.

21728318_1659874790749860_6729583179722940049_n

Um ano depois de nosso histórico I Encontro, chegou o momento do II Encontro da Juventude Conservadora da Universidade Federal do Maranhão, um evento voltado para o pensamento conservador, por tanto tempo esquecido e rechaçado no ambiente acadêmico brasileiro, mas não só, serão abordados temas como Monarquia e República, Literatura, Cultura e Filosofia. Com o tema Guerra Cultural, traremos um debate verdadeiramente sério ao ambiente acadêmico, onde estão sendo formados os futuros professores e formadores de opinião de nossa nação, e onde a esquerda – infelizmente — atua dominante.

Por trás do evento está o grupo Carcarás – Juventude Conservadora da UFMA, formado por alunos da instituição, de diversos cursos, desde filosofia à matemática, passando por ciências contábeis, direito, pedagogia e letras. Cabe ressaltar que o grupo Carcarás é formado por alunos do Curso Online de Filosofia do professor Olavo de Carvalho, que desde 2015 vêm se reunindo na Universidade para estudar as aulas de nosso maior filósofo vivo.

O Carcarás tem se empenhado em reunir pessoas das mais diversas classes sociais e áreas de estudo, para debater ideais conservadores e procurar formas de agir na sociedade, quebrando assim a hegemonia do pensamento esquerdista, que inspirado em Gramsci, busca ser onipresente, vetando todo tipo de contradição ou pensamento que esteja fora do establishment esquerdista, tornando todos comunistas sem saber, por meio de uma revolução cultural, infiltrando-se nas instituições e as fazendo ruir por dentro.

Desde a criação oficial do grupo em 2016, sofremos perseguições das mais diversas por parte da esquerda ufimista, querendo a todo custo colar em nós rótulos como fascistas, antidemocráticos e até nazistas, criando um clima tenso na universidade, sobretudo no Centro de Ciências Humanas, modéstia à parte: desencadeado por um evento que nós criamos com o propósito de discutir ideias, não empalar pessoas.

Nós da Juventude Carcarás não nos eximimos do diálogo e do debate, mas recusamos as mentiras e inverdades que, quase sempre, são propagadas por idiotas úteis, analfabetos funcionais e analfabetos doutorais. O que deve ser denunciado com o devido repúdio é o descompromisso, a arrogância, a vaidade e o autoritarismo de alguns professores que, na expectativa de varrer a poeira do Conservadorismo da Universidade, levantam calúnias e tentam desesperadamente  nos associar com homens de atitudes que repudiamos; aqueles que espancam mulheres, apedrejam homossexuais e cospem na outra face de quem os confrontar.

Os filhos de Stálin e Mao Tsé-Tung – os maiores genocidas do século XX – sabem que uma das maneiras de se controlar a opinião pública de uma nação é controlar a sua vida universitária, da qual acabam saindo as suas futuras lideranças. Não á toa nosso tema central deste ano é “O Conservadorismo e a Guerra Cultural”,  seguimos a linha de pensamento do Filósofo Olavo de carvalho, ou seja, formar toda uma nova classe de intelectuais para elevar o debate acadêmico, e fugir de imitações prepotentes e arrotos de vaidade que em nada contribuem para um debate honesto e bem fundamentado, não acreditamos numa ação política que dê resultados satisfatórios, antes de uma ação intelectual e cultural, uma elite política deve surgir depois e só depois, de uma elite intelectual. O grupo Carcarás aprendeu com o professor Olavo que sem uma mudança firme e consistente no imaginário da sociedade, na cultura e nos formadores de opinião, toda batalha vencida no campo político se torna uma vitória ilusória e reversível. Como bem disse nosso professor: “A expressão mais clara da personalidade dominante é o estilo da vida intelectual.”

O ideário conservador, presente e atuante nas mais consolidadas democracias do mundo, representa uma alternativa legítima e merece, portanto, ser difundido em âmbito universitário. Nunca nos afastaremos do debate franco e do combate leal, dentro das regras do jogo democráticComo também apoiamos a manifestação pública de forma decente, tolerante e dialética, segue um conselho para os nossos amigos e inimigos (aqueles que querem mudar o mundo depois de amanhã), recolhido do epitáfio do arquiteto Chistopher Wren: “Si monumentum requiris, circumspice” (‘Se procuras um monumento, olha em volta de ti’). Melhor dizendo: se procuras mudar o mundo, tira primeiramente a trave dos teus olhos, e olha as ruínas que há dentro de ti.

Respeitosamente,

Grupo Carcarás.

II Encontro da Juventude Conservadora da UFMA. Programação:

08h00 – abertura

9h00 – ADEUS MARX: uma outra universidade é possível – Wellignton Lima Amorim

10h00 – O conceito de barbárie em Mario Ferreira dos Santos – Ricardo de Carvalho

11h00: Monarquia e Estado Contemporâneo: o caso espanhol – Diogo  Guagliardo Neves

12h00 – Pausa para o almoço

13h00: Atração Cultural

14h00: Machado de Assis ou a Invenção de uma Literatura – Adonay Ramos Moreira

15h00: A importância dos símbolos para transmissão da fé cristã

16h00: Pautas irrelevantes e lutas desnecessárias: um bate papo sobre a confusão esquerdista na atualidade – Linhares Jr.

17h00: Guerra Cultural: história e estratégias, considerações preliminares – Olavo de Carvalho

18h00: sorteio de livros e encerramento

Inscrições aqui: https://goo.gl/yavoEi

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s