O CULTO À FEIURA E O PRAGMATISMO

nascimento-de-venus

Dois cultos são responsáveis, de acordo com Scruton, por essa tendência da Arte moderna, que virou as costas para a beleza: o culto à feiura e o culto ao valor prático das coisas. No primeiro caso, argumenta ele, a Arte, ao abandonar a beleza, perdeu seu principal objetivo, o de fazer com que atribuamos sentido à vida, nos consolando das tristezas, como para Platão, ou ainda, como defendiam os filósofos iluministas, ajudando a galgar alguns degraus da escadaria que nos conduz para longe das banalidades do cotidiano.

Continue Lendo “O CULTO À FEIURA E O PRAGMATISMO”

A Bíblia e os direitos humanos

Por Francisco Bezerra

homem-lendo-biblia-sagrada

O Sermão da Montanha de Jesus Cristo foi certamente um pilar para a construção de um novo sentido de humanidade na civilização ocidental como a conhecemos. No final do século IV, Santo Agostinho, em suas reflexões sobre o sermão, destacou que as palavras de Jesus trouxeram ao homem um novo patamar da ética, um novo padrão de normas elevadas, alicerçadas na pureza de coração de quem busca a perfeição da santidade cristã. A partir desse novo conjunto preceitos universais de relações entre pessoas, firmou-se os fundamentos do que hoje nós conhecemos como direitos humanos.

Continue Lendo “A Bíblia e os direitos humanos”

Documentário expõe farsa do gênero na Noruega

O primeiro episódio da série apresentada por Harald Eia é bem conhecida e fala justamente sobre o paradoxo da igualdade de gênero. Quem ainda não viu, pode assistir abaixo, com legendas em português:

A decisão foi tomada depois que um documentário norueguês, chamado Hjernevask (“Lavagem Cerebral”, em português) expôs a farsa das pesquisas de gênero, em 2010. O sociólogo e humorista Harald Eia estava intrigado com o fato de que, não obstante os constantes esforços de engenharia social para remover os chamados “estereótipos de gênero”, mulheres continuavam a optar por profissões tipicamente femininas e homens continuavam atraídos por carreiras masculinas. De fato, ao invés de as políticas de gênero reverterem esse quadro, as diferenças só se tinham acentuado ainda mais.

Continue Lendo “Documentário expõe farsa do gênero na Noruega”

Deus não está morto!

Por Michael Amorim

“Deus não está morto na academia. Ele está vivo e bem em sua última fortaleza acadêmica: departamentos de filosofia”. (Quentin Smith, filósofo ateu)

“O mundo intelectual contemporâneo no Ocidente”, declara o célebre filósofo Alvin Plantinga, “é um campo de batalha ou uma arena na qual se trava a luta pela alma dos homens”.

Continue Lendo “Deus não está morto!”

A guerra das universidades contra a verdade

Por Roger Scruton

15_3_mordaca_site

Há enorme relutância hoje entre os jovens para assumir certezas, e essa relutância se revela na linguagem. Em qualquer assunto onde haja possibilidade de discordância, coloca-se um ponto de interrogação no final da frase. Para reforçar a postura de neutralidade, inserem-se palavras que cumprem a função de “aviso legal”. Entre elas, a favorita é “tipo”. A despeito do quão inflexível eu possa ser em relação ao fato que a Terra é esférica, surgirá alguém para sugerir que ela é “tipo, esférica?”

Continue Lendo “A guerra das universidades contra a verdade”